Aspectos epidemiológicos e clínicos da infecção natural por Trypanosoma cruzi em cães de área endêmica de triatomíneos monitorados pela vigilância epidemiológica no sul do Espírito Santo.

Nome: Beathriz Giostri Pontes
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 28/02/2020
Orientador:

Nomeordem crescente Papel
Marcos Santos Zanini Co-orientador
Fabiane Matos dos Santos Orientador

Banca:

Nomeordem crescente Papel
WAGNER MIRANDA BARBOSA Examinador Externo
Isabella Vilhena Freire Martins Examinador Interno
Fabiane Matos dos Santos Orientador

Resumo: A doença de Chagas (DC) é uma antropozoonose com elevada morbimortalidade principalmente nos países endêmicos da América Latina. O protozoário Trypanosoma cruzi, agente etiológico da DC, pode infectar diversas espécies de triatomíneos (vetores) e mamíferos (hospedeiros vertebrados), entre esses o cão. No estado do Espírito Santo (ES) há poucos relatos da infecção natural por T. cruzi em cães. O presente estudo objetivou a detecção sorológica da infecção natural por T. cruzi em cães residentes de áreas notificadas com triatomíneos positivos para Trypanosoma spp. entre 2014 a 2017 nos municípios de Iconha e Alegre, ES, segundo a Secretaria de Estado da Saúde do ES (SESA/ES). Foram avaliados parâmetros de composição corporal, função cardíaca e variáveis epidemiológicas, como a localização do animal e atualização das vacinas obrigatórias. Entre o total de 36 cães avaliados, 10 (27,77%) foram detectados como positivos, um cão limítrofe
(2,79%) e 25 animais negativos (69,44%) à infecção por T. cruzi. Na avaliação da composição corporal pelo Escore de Condição Corporal e pelo Índice de Massa Corporal Canino foram classificados respectivamente 58,33% (21/36) e 30,55% (11/36) dos animais em condição de peso ideal. Não houve associação entre os parâmetros de composição corporal e a infecção natural por T. cruzi (p>0,05). O distrito de São Caetano, no município de Iconha, apresentou risco significativo à detecção de exame sorológico positivo, com chances 25 vezes maior de ocorrência da infecção natural por T. cruzi (OR: 25; p<0,05). Cães com vacinação obrigatória atualizada demonstraram uma menor chance de risco à detecção da infecção por T. cruzi (OR: 0,12; p<0,05). Alterações eletrocardiográficas consideradas de maior gravidade foram detectadas apenas entre animais positivos, tal como a parada sinusal. Esses resultados demonstraram importantes características da detecção da infecção natural canina por T. cruzi no município de Iconha, principalmente no distrito de São Caetano.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Alto Universitário, s/nº - Guararema, Alegre - ES | CEP 29500-000