Avaliação da suplementação com selênio associado a vitamina e em bovinos leiteiros com hematúria enzoótica.

Nome: Eduardo Vargas de Oliveira
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 31/08/2021
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Louisiane de Carvalho Nunes Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Heberth de Paula Examinador Externo
Louisiane de Carvalho Nunes Orientador
Maria Aparecida da Silva Examinador Interno
Rafael Otaviano do Rego Coorientador

Resumo: A Hematúria enzoótica bovina (HEB) é uma enfermidade relacionada à
intoxicação pelo consumo crônico de Pteridium sp. (samambaia). Essa doença
é comum na região sul do Espírito Santo e não possui tratamento. Assim, o uso
de suplementação com minerais e vitaminas poderia ser uma alternativa viável. Objetivou-se com esse trabalho avaliar a suplementação com selênio e
vitamina E em bovinos cronicamente intoxicados por Pteridium sp. e com HEB,
bem como avaliar os níveis de glutationa peroxidase, antioxidantes totais e
biomarcadores teciduais de progressão tumoral nestes animais na região Sul
do Espírito Santo. Para isto foram selecionados 18 bovinos nos municípios de
Divino de São Lourenço e Ibitirama com quadro de HEB. Os animais foram
avaliados clinicamente e confirmada a hematúria pela avaliação da urina. O
delineamento experimental foi realizado em quatro grupos distribuídos ao
acaso em grupo 1 (controle), grupo 2 (dosagem de 0,05 mg/Kg de selênio),
grupo 3 (0,10 mg/kg de selênio) e grupo 4 (0,20 mg/kg de selênio). Todos os
grupos também foram suplementados com dose de 0,5 mL de vitamina E. A
suplementação foi feita por via intramuscular durante 13 semanas. A cada
quinze dias os animais foram avaliados quanto à hematúria, ganho de peso,
hematócrito, proteína sérica total, fibrinogênio, níveis séricos de glutationa
peroxidase e antioxidantes totais. Também foi realizado lavado vesical seguido
da imunocitoquímica com os marcadores caspase3 e p53. Verificou-se
diferença significativa do peso entre os grupos 2 e 4. O grau de hematúria,
hematócrito e proteína sérica total diferiram entre o grupo controle e os grupos
que receberam a suplementação. Houve diferença nos níveis de antioxidantes
totais entre os grupos 1 e 2, contudo, nenhuma diferença foi observada nos
níveis de glutationa entre os grupos. Em relação à avaliação citológica dos
lavados vesicais, apenas cinco animais revelaram lesões, sendo cinco
neoplásicas e uma não neoplásica. Os biomarcadores revelaram marcação de
fraca a moderada intensidade, no entanto, não foi possível estabelecer relação
entre a expressão dos mesmos com a progressão tumoral ou os tratamentos.
Conclui-se que a suplementação com selênio associado a vitamina E em
bovinos leiteiros com hematúria enzoótica causa melhora do quadro clínico de
hematúria, da anemia e da reação inflamatória de fase aguda. No entanto, não
foi possível estabelecer relação entre a expressão dos biomarcadores e a
progressão tumoral com a suplementação com selênio e vitamina E.

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Alto Universitário, s/nº - Guararema, Alegre - ES | CEP 29500-000