Desenvolvimento Farmacotécnico e Atividade Antimicrobiana e Antioxidante De
gel de Carbômero Contendo Extrato de Casca de Punica Granatum para Uso Em
lesões Cutâneas em Cães.

Nome: Thaís Martins da Silva
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 31/08/2021
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
JANAINA CECÍLIA OLIVEIRA VILLANOVA KONISHI Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Cristiane dos Santos Giuberti Examinador Externo
Gracielle Ferreira Andrade Examinador Externo
JANAINA CECÍLIA OLIVEIRA VILLANOVA KONISHI Orientador
Juliana Alves Resende Coorientador

Resumo: A casca é um dos biorresíduos dos frutos de romã formados após a extração do suco, com potencial de ser convertido em produtos de valor agregado para inúmeras aplicações, entre elas, a farmacêutica, uma vez que contém inúmeros compostos bioativos de interesse farmacológico. O objetivo do presente trabalho foi preparar um gel contendo extrato bruto seco das cascas de romã (EBSCR) com vistas ao uso como antimicrobiano no manejo de lesões na farmacoterapia veterinária de cães, com o intuito de fundamentar o interesse pela agregação de valor aos biorresíduos do romã. Inicialmente, realizou-se a determinação do teor de fenóis totais e da atividade antioxidante do extrato, sendo definidas a CE50(Concentração efetiva para inibir 50%)
e a CE90 (Concentração efetiva para inibir 90%), utilizando BHT (Butilhidroxitolueno) como padrão. Após caracterização química, foram preparadas formulações de géis de carbômero a 1% p/p contendo o EBSCR em diferentes concentrações (1,25, 2,5 e 3,75% p/p), nomeadas FG1, FG2 e FG3, que foram submetidas à pesquisa de atividade antimicrobiana pelo método de disco-difusão. Para tal, foram empregadas cepas de Staphylococcus aureus (ATCC 25.923), Staphylococcus epidermidis (ATCC 12228), Escherichia coli (ATCC 25.922) e Candide albicans (ATCC 24.433). Depois de eleita a formulação com a melhor concentração do extrato para a continuidade do
estudo, foram preparados 1,5 Kg do gel base (GB) e em 1 Kg foi incorporado o extrato na concentração eleita para o estudo (FG2; 2,5% p/p). O produto foi fracionado e as amostras foram armazenados sob refrigeração (5 ± 2 ºC) e em temperatura ambiente (27 ± 2º C), determinada no período de execução do estudo, para avaliação da estabilidade preliminar. Os seguintes testes físico-químicos foram realizados em FG2 ao longo de 90 dias: aspecto, pH, resistência ao estresse térmico e mecânico, perfil de textura, determinação do teor de fenóis totais, qualidade microbiológica e manutenção da atividade antimicrobiana. O teor de fenóis totais encontrado foi de 61,92% EAG e a atividade antioxidante total determinada para uma solução a 40 4µg.mL-1 foi 93,8%, com valores das concentrações mínimas eficazes (CE) para reduzir o DPPH em 50% e 90% de 14,44 µg.mL-1 e 39,82 µg.mL-1, respectivamente. A
incorporação do EBSCR a 2,5% p/p no gel base originou um gel opaco, de cor
amarelo-intensa, com pH de 6,10. Ao longo do tempo, o pH, os parâmetros de textura e o teor de fenóis totais diminuíram, sendo as maiores alterações notadas nos produtos armazenados sob refrigeração. Ao final de 30 dias a redução no teor de fenóis totais na formulação foi inferior a 9% somente para a amostra armazenada sob refrigeração. No que diz respeito à qualidade microbiológica, as formulações atenderam aos requisitos farmacopeicos para a contagem de microrganismos mesófilos totais e ausência de microrganismos patogênicos, sem alterações no período de 90 dias. A eficácia antimicrobiana foi mantida ao longo tempo. A partir dos resultados pode-se inferir que a formulação FG2, preparada a partir do gel base de carbômero a 1% p/p contendo EBSCR a 2,5% p/p, armazenada durante 30 dias sob refrigeração, pode ser empregada para a finalidade pretendida, sendo útil para agregar valor à biorresíduos do romã.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Alto Universitário, s/nº - Guararema, Alegre - ES | CEP 29500-000