Comparação do efeito da triiodotironina no potencial condrogênico in vitro entre células tronco mesenquimais de ratas Wistar.

Nome: Theo Matos Arantes Moraes
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 06/06/2022
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Jankerle Neves Boeloni Orientador
LEONARDO OLIVEIRA TRIVILIN Co-orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Anderson Barros Archanjo Examinador Externo
Jankerle Neves Boeloni Orientador
Maria Aparecida da Silva Examinador Interno

Resumo: Células tronco mesenquimais (CTM) são indiferenciadas e multipotentes com
capacidade de diferenciação condrogênica e podem sofrer influência de diversos fatores, dentre eles o hormonal. Objetivou-se comparar o efeito da triiodotironina (T3) em diferentes concentrações e tempos, no potencial condrogênico de CTM da medula óssea (CTM-MO) e do tecido adiposo (CTM-TA) de ratas Wistar jovens. Ambas CTM foram extraídas e cultivadas in vitro em meio condrogênico sem T3 (Controles) e com T3 (0,01; 1; 100 e 1000 nM) cada uma, totalizando 10 grupos. Após sete, 14 e 21 dias foram avaliadas expressão gênica de Sox9, Colágeno II (Col II) e Agrecano (Acan) utilizando-se qRT-PCR e formação de matriz condrogênica, por meio de coloração histológica Alcian blue (AB) - ácido periódico de Schiff (PAS). Em Sox9 aumentou a expressão de CTM-MO com T3 100 nM aos 7 dias e T3 1000 nM aos 14 dias, e aumentou a expressão de CTM-TA com T3 1 nM aos 14 dias; em Col II aumentou a expressão de CTM-MO com T3 0,01 nM aos 7 dias e aumentou a expressão de CTMTA com T3 1000 nM aos 14 dias; em Acan aumentou a expressão de CTM-MO com T3 1 nM aos 14 dias e aumentou a expressão de CTM-TA com T3 1 nM aos 21 dias. Com relação à síntese de matriz condrogênica AB-PAS+, aos sete dias de diferenciação a CTM-TA foram superiores à CTM-MO no grupo controle e nas concentrações de T3 0,01 nM, 1 nM e 100 nM, permanecendo semelhante entre as CTM aos 14 e 21 dias. Conclui-se que o potencial condrogênico com síntese de matriz condrogênica da CTM-TA é precocemente superior em relação à CTM-MO aos 7 dias, tanto sem adição de T3 quanto com adição desse hormônio nas concentrações de
0,01 nM, 1 nM e 100 nM.

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Alto Universitário, s/nº - Guararema, Alegre - ES | CEP 29500-000